Você já ouviu a palavra persona? Você sabe quem é o seu público-alvo, mas quer entender melhor quem é o seu público ideal? Já ouviu falar de persona mas ainda não entende muito bem porque ela é diferente do seu público-alvo?

E quem é a sua persona? O que ela faz? Qual a melhor maneira de gerar conteúdo para ela?

Ufa! Calma, calma, calma! Parece chamada para assistir ao globo repórter, mas não é. Se você ainda não sabe as respostas para todas essas perguntas, hoje é o seu dia de sorte!

O Bulldesk  vai ajudar você a entender melhor essa ferramenta indispensável para qualquer estratégia de marketing digital, que, na verdade, pode ser considerada um alicerce do marketing da sua empresa. Sem pressa! Chegaremos a esse momento de ouro onde abre uma luz no fim do túnel na sua frente, logo, logo!

O que é uma persona?

Então vamos começar pelo começo: criar uma persona é ter a ideia clara e real de quem são seus clientes em potencial. São personagens criados com base em pesquisa e em pessoas reais. Elas que auxiliam as decisões tomadas no marketing e representam quem é o seu comprador real. Mas, cuidado! Parece muito com o público-alvo, mas tem algumas diferenças entre eles. E quais seriam?

A persona, também conhecida como avatar, é usada na produção de material para todo e qualquer conteúdo de uma marca: seja para blog, e-mail marketing ou redes sociais, ela é a definição do seu cliente ideal, com todas as principais características. Ela é baseada em dados reais sobre comportamento e características demográficas do seu cliente, assim como suas histórias pessoais de vida, motivações, objetivos, desafios, preocupações e medos. Tudo isso é levado em conta para se criar uma persona.

Qual a diferença entre persona e público-alvo?

O público-alvo é composto por um segmento da sociedade que tem características em comum. É uma representação bem ampla dos clientes que você tem. Por exemplo: sexo, idade, nacionalidade, profissão, ou seja, informações básicas.

Já a persona é caracterizada por dados reais e além dos dados que já são informado no público-alvo, ela representa outros critérios voltados para informações mais pessoais. Por exemplo bairro, gostos pessoais, personalidade e estilo de vida.

Sendo assim, o trabalho vai além: deve-se descobrir detalhes, vontades, desejos, medo, porque são com essas informações que se trabalha para realizar um conteúdo assertivo. Quanto mais você conhecer da pessoa, mais você vai conseguir entregar o que a pessoa precisa.

Público-alvo, de uma maneira geral, é uma parcela abrangente da sociedade, para quem você vende seus produtos ou serviços. Já a persona, como falamos, é a representação do seu cliente ideal, de forma mais personalizada e humanizada. Em um primeiro momento pode até soar muito parecido, mas faz toda a diferença pensar em uma estratégia de marketing, direcionada para aquela pessoa e não para um extenso público.

Viu só a diferença? As informações das personas são mais completas e específicas, e pensar em estratégias de marketing para alguém que você tem mais informações, faz com que o seu conteúdo seja melhor direcionado, além de ser mais útil para as pessoas. Com as personas você consegue ter resultados mais eficientes do que se pensasse apenas em um público muito geral.

Como criar sua persona?

Agora que você já sabe o que é persona, precisa aprender a criar a sua. Para isso, você precisa responder uma série de perguntas sobre  o seu usuário. Ah! E não precisa limitar uma única persona para o seu negócio, mas também não exagere! Muitas personas podem fazer com que a sua estratégia perca o foco.

É muito importante pensar como o seu negócio pode impactar positivamente e fazer a diferença na vida de pessoas. Além disso, você pode fazer uma pesquisa de mercado que ajuda a segmentar melhor o seu nicho. Uma dica: crie um formulário online e disponibilizar para o seu público responder, por exemplo.


Quer mais dicas?

Mergulhe no universo do seu cliente. Descubra quais seus programas preferidos de televisão, sites que navega, redes sociais que usa no dia a dia, o que acontece diante dos olhos dele, o que ele ouve na rádio, no dia a dia, o que ele pensa. O que ele fala e faz? Quais assuntos gosta de conversar? Quais atividades? Quais problemas ele precisa resolver? Quais são suas necessidades, desejos, sonhos e frustrações?

Na medida que você for preenchendo, novas ideias irão surgindo e farão sentido sobre aquela persona. No final, você deve juntar todas essas informações e criar um novo plano e narrativa.

Só assim você vai poder começar a entregar o que ele quer, resolver os problemas que ele tem e se comunicar da maneira que ele gosta e melhor, transformá-lo não apenas em cliente, mas em seu fã.


E tem mais!

Depois que você entrevistou o público, é a hora de saber quais são as características mais comuns entre os entrevistados.

Quais os problemas mais citados por eles? Quais hábitos se assemelham? Enfim, analise quais são as coisas que convergem entre os consumidores.

Essa etapa é muito importante para o próximo passo, que é justamente a criação das personas.


Estruture a persona! Essa etapa consiste em colocar no papel tudo que você sabe sobre as personas. Aqui é onde as coisas tomam forma. Você deve criar um nome, idade, profissão e descrever o dia a dia dela. Mas “não se limite ao personagem”. Quando sua persona estiver formada, pense nela como um ser humano real, que vai consumir seus conteúdos, abrir seus e-mails, e claro, comprar seus produtos.

Seguindo esse passo a passo, você vai conseguir criar personas e conseguir definir estratégias mais precisas em campanhas de marketing e vendas.


Mas Bulldesk, porque isso é tão importante?

Porque quando você descobre o universo do seu cliente, você consegue entender onde ele enxerga valor e assim, consequentemente, você também consegue entregar algo de valor pra ele.

Outra coisa que tem que estar claro na sua cabeça: você deve pensar na persona como um norte para tudo que será criado dentro da sua estratégia de marketing digital, pois é ela quem vai interagir com o conteúdo que você criar. Com um posicionamento assertivo, o seu rankeamento nas buscas do Google também tende a melhorar.

Para deixar um pouco mais claro, existe alguns pontos em que a sua persona é indispensável e auxilia na definição da sua estratégia efetivamente. Por exemplo: ela vai te ajudar a ser mais assertivo na linguagem de comunicação da empresa, linguagem das redes sociais, conteúdos que devem ser produzidos, palavra-chaves escolhidas, estilos, periodicidade que se deve enviar um  e-mail mkt, links patrocinados, Faceboook Ads, etc.

Em todas essas estratégias, a persona é usada para definir e nortear as melhores ações. Por isso, a criação de persona é vista como passo fundamental dentro da sua estratégia digital de resultados. Criamos personas para criar a mensagem certa para as pessoas certas.

Portanto, com base nela que você pode ser muito assertivo com o tipo de conteúdo que vai oferecer aos seus comprados. Exemplo: se você descobrir que a renda do seu cliente é um pouco mais baixa, você pode oferecer a opção de compra parcelada. Você pode evitar de tentar e vender carne pra quem é vegetariano.

Tragédias como essa podem acontecer quando infelizmente não sabemos com quem estamos nos comunicando.

Com a persona você consegue perceber as dores e resolver os problemas de seus clientes com mais eficiência.

O resultados desse tipo de estratégia incluem uma experiência muito melhor para o seu usuário e um comprador mais engajado para o seu negócio. Por isso, lembre se de sempre criar a sua persona para que o seu marketing seja completo e consiga atingir todos os objetivos iniciais do seu produto ou serviço.

Curtiu?

Agora que você é expert no assunto, bora colocar a mão na massa e procurar uma persona pra chamar de sua? Se precisar de ajuda, pode contar com o Bulldesk. Falamos mais sobre o assunto neste post do Blog. 😉